“Uma Igreja que presta maior atenção às necessidades materiais dos que sofrem também aprenderá a oferecer um anúncio mais convincente da verdade e da salvação aos que têm fome e sede de vida eterna”, sustenta o Papa.

Segundo Francisco, um dos grandes desafios que se colocam à Igreja é o de “encontrar caminhos efetivos” para “levar a luz do Evangelho aos assuntos mais urgentes que afetam” a Europa.

O Papa deixa votos de que a reflexão destes dias “desperte as consciências” para construir uma sociedade em que “os bens temporais e a ordem social” estejam ordenados para “o serviço da pessoa e a sua plenitude em Deus”.

‘A fé cristã e o futuro da Europa’ é o tema das Jornadas Sociais que pretendem “refletir sobre a missão da Igreja na sociedade contemporânea”.

“As Jornadas Sociais têm a intenção de ajudar e inspirar aqueles que estão envolvidos no ministério social dentro e fora da Igreja, na partilha das melhores práticas sociais e aprofundar compreensão das estruturas políticas, económicas e sociais para que a vida familiar possa prosperar”, explicam o Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE) e a Comissão dos Episcopados Católicos da União Europeia (COMECE).

Estão inscritos 180 participantes de 30 países.

Fonte: http://www.agencia.ecclesia.pt/