V/ Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
R/Ámen.

1. Convite à oração: Também a nós, como a Pedro, Tiago e João, Jesus convida a “subir para um lugar retirado num alto monte”, onde possamos experimentar a beleza do encontro com Ele, sem as perturbações do ruído da cidade. Que este breve momento de oração nos ajude a estar «em família», «entre amigos», com Jesus no nosso meio. Digamos ao Senhor: “Que bom é estarmos aqui” (Mc.9,5).
2. Leitura do Evangelho: “Veio então uma nuvem que os cobriu com a sua sombra, e da nuvem fez-se ouvir uma voz: «Este é o meu Filho muito amado: escutai-O». De repente, olhando em redor, não viram mais ninguém, a não ser Jesus, sozinho com eles” (cf. Mc.9,2-10).
3. Breve diálogo sobre este evangelho:

a) A certo momento, Jesus sentiu que os discípulos não estavam preparados para o escândalo da cruz. Por isso quis oferecer-lhes uma visão diferente da vida e da morte, de modo que não desanimassem nem se assustassem perante as dificuldades. Convidou-os a levantar-se, a subir a montanha. E eles viveram uma experiência do encontro com Cristo. Agora sabem que, para lá da cruz, está a luz. Para lá da morte, está a ressurreição. Mas no fim deste luminoso encontro, Jesus desafia-os a retomar o caminho: “Levantai-vos e não temais”.

b) Em família, todos sabemos o que custa “levantar-se” (da cama, da mesa, da oração), para voltar ao trabalho diário. “Estes momentos preciosos de repouso, de uma pausa com o Senhor na oração, talvez gostássemos de poder prolongá-los. Mas, como São José, temos de despertar do nosso sono; devemos levantar-nos e agir (cf. Rm 13, 11). A fé não nos tira do mundo, mas insere-nos mais profundamente nele. Isto é muito importante. Devemos caminhar em profundidade no mundo, mas com a força da oração.

4. Gesto: Escrever na 2ª porta o nome de três pessoas, que te ajudam a levantar, ou que precisam da tua ajuda, para se levantarem, isto é, para se reanimarem, para retomarem a sua atividade. Durante esta semana não deixarás de os “tocar” e ajudares a “levantar”.

5. Pai-Nosso

6. Oração conclusiva:  
V/ Senhor, quando o desânimo e o medo
nos fecharem dentro de portas,
vinde até nós e dai-nos a vossa mão.
Levantai-nos, cada manhã,
Encorajai-nos para um novo dia,
para que nunca nos faltem a vossa luz
e a vossa completa alegria.
R: Ámen.