É um grupo constituído de leigos propostos e incentivados pelo Pároco à frequência de Curso de Preparação e que estão disponíveis para o serviço do Altar aquando das Eucaristias e Orações bem como no serviço dos doentes para a distribuição da Sagrada Comunhão aos católicos que, por esse motivo, não possam participar do ministério da presença comunitária. A pedido do Pároco o Bispo pode designar leigos para este serviço à comunidade com validade para toda a Diocese e pelo período de três anos, renováveis.

Arranque:
Nos anos setenta do século passado, foi estabelecida uma norma às Paróquias no sentido de permitir que a ajuda de leigos na distribuição da sagrada comunhão pudesse minorar os efeitos de diminuição de presbíteros e aumentos de participação na comunhão. O nosso Pároco colocou o assunto numa reunião da Comissão Paroquial Permanente que identificou uma leiga para ser convidada para o exercício desse serviço. No interior da Igreja o diálogo do Pároco e da leiga, levou a que a mesma tenha aceite e começado a colaborar nas eucaristias dominicais. Posteriormente foi o grupo acrescido por mais leigos e, ao primeiro dos cursos de preparação da Diocese, foram todos propostos à frequência tendo obtido aproveitamento. A partir desse conjunto de leigos cresceu o serviço não só pelas entradas e saídas como também para a distribuição da comunhão no domicílio aos doentes e acamados.

Hoje:
Ao serviço na Paróquia estão presentemente designados 16 leigos que rotativamente participam nas Eucaristias comunitárias dominicais e bimensalmente se encontram em reuniões de Oração, actualização e preparação. Os pedidos de visita domiciliária para distribuição da comunhão aos doentes é solicitada pelas famílias ao Pároco que identifica o leigo que estará disponível para o serviço

Desenvolvimento Futuro:
O Ministério da Comunhão é de natureza própria dos presbíteros e diáconos, pelo que o serviço de leigos terá de ser sempre entendido como extraordinário e condicionado à apreciação de proposta individual do Pároco e de final designação pelo Bispo Diocesano.