Senhor e a Senhora da Ajuda

Não se sabe ao certo quando começou a devoção ao Senhor e à Senhora da Ajuda. Apenas se sabe que, normalmente, à história real está sempre associada uma lenda. E este caso, em nada é diferente.  Reza a história que Nossa Senhora apareceu em sonhos a uma mulher de um marinheiro de Miragaia – Catarina Fernandes – ordenando-lhe que fosse a uma fonte que ainda hoje existe, a pouca distância do lugar da capela, e que veria uma pomba branca e uma pequena imagem Sua.

Confiante nos desígnios de Deus, a mulher afervorou a sua devoção a Nossa Senhora e certa manhã, após um segundo sonho, foi à misteriosa fonte.

Mal avistou a fonte, viu uma pomba branca a esvoaçar e ficou assombrada pela realidade e porque as silvas quase que cobriam a fonte, voltou para trás, para pedir ajuda ao marido.

Quando o encontrou foram os dois procurar a imagem de Nossa Senhora e descobriram-na entre o silvado.

Tiraram-Na dali e construíram-lhe uma ermida, dando-lhe o nome de Senhora do Ó, por ter aparecido no dia em que se celebra a Expectação do Parto (18 de Dezembro).

Contudo, a Senhora começou a fazer várias fugas para o lugar onde apareceu, até que um dia, entraram na barra do Douro nove navios ingleses e um deles ao chegar em frente à capela, e por mais esforços que fizesse, não conseguia mover-se para diante, como que agarrado ao fundo do rio.

A bordo desse mesmo navio vinha uma imagem de Jesus Crucificado, e uma vez que o Senhor queria desembarcar ali e ir morar na capelinha da Senhora o navio não seguiu avante.

Senhora da Ajuda 

O que é certo é que logo que desembarcaram a imagem de Jesus Cristo e a colocaram na capelinha de Nossa Senhora, o navio começou a navegar, seguindo o seu caminho.

Com a colocação da imagem de Cristo Crucificado na ermida a Senhora suspendeu as fugas e a capelinha passou a albergar o Senhor e a Senhora da Ajuda.